Hora de Mudar

Homem centro do universo feminino? Não mais.

Homem centro do universo feminino? Não mais.

Mulheres correndo na praia - Picasso

Mulheres correndo na praia - Picasso

 

Nessa nova era, era das mudanças, as mulheres estão mais preparadas para lidar com as exigências do mundo contemporâneo.

Desde o ano passado mais de 50% força de trabalho do mundo ocidental é de mulheres, pois o atual modelo econômico precisa de mão-de-obra com mais habilidade do que força.

Segundo pesquisas nos Estados Unidos as mulheres representam hoje 60% do total de pós-graduações, 42% dos MBAs e 60% de todos os bacharelados. No Brasil desde 2000 as mulheres já ocupam mais da metade dos bancos universitários, e hoje essa porcentagem se iguala com as norte-americanas. A escolaridade e em particular a universidade é a porta de entrada para o sucesso econômico e as mulheres sabem disso, estudam mais e melhor do que os homens.

Somando uma maior bagagem intelectual proveniente dos estudos com qualidades cada vez mais desejadas pelas empresas, como intuição, sensibilidade para captar as necessidades latentes das pessoas, capacidade de observação, habilidade de conciliação e trabalho em equipe, não é de admirar que em pouco tempo as mulheres venham a ocupar a maioria dos cargos de comando nas empresas.

Se por um lado essa emancipação econômica da mulher adiou os casamentos e aumentou os divórcios, por outro, a perspectiva do aumento de lideranças femininas é encarada com bons olhos por seus companheiros.

Desenvolver capacidades e talentos próprios é uma forma de evitar o costume feminino de colocar todas as “fichas” no companheiro. O homem está deixando de ser o centro do universo feminino.

Estamos vivendo a era dos opostos. Se por um lado temos mulheres que não precisam de um homem para nada, do outro lado temos mulheres que não vivem sem a referência de uma figura masculina em suas vidas e que perdem suas identidades quando estão ao lado deles.

Está chegando a hora que as mulheres deverão buscar um equilíbrio entre esses dois extremos. 

Na nossa cultura ocidental a menina aprende desde cedo a ser dependente do homem. Além dos contos de fadas todos os meios de comunicação, família, igreja e escola colaboram para isso. As meninas aprendem a ter sonhos e fantasias com Príncipes e Cavaleiros que as salvam das torres onde estão aprisionadas, em vez de lições que as ensinam a desenvolver suas próprias capacidades e talentos.

Com isso muitas mulheres ainda acreditam que precisam ter um homem ao lado para serem valorizadas. Por outro lado cada vez mais encontramos mulheres que se libertaram disso e olham com novos olhos para o mundo, o amor, o homem, a mulher, sem estar presa aos condicionamentos, preconceitos e tradições que tanto limitam as pessoas.

Para aquelas mulheres que acreditam que são frágeis, desamparadas, incapacitadas de gerir a própria vida ainda ter um homem ao seu lado é fundamental.

Para estar bem sozinha é preciso ter uma nova visão do amor e do sexo, é preciso ter autonomia pessoal, se tornar LIVRE da dependência amorosa exclusiva e “salvadora” de alguém.

Quando se perde o medo de ficar sozinho, percebemos que isso não significa necessariamente solidão (veja texto nesse blog: A amiga solidão).

O desenvolvimento pessoal é responsável pela mudança interna que nos faz enxergar nossas próprias singularidades e o prazer de estar só deixando para trás a idéia básica do amor romântico, que é a fusão transformadora de dois numa só pessoa.

Essa mudança interna vai refletir sobre os valores aprendidos, para se libertar do moralismo e dos preconceitos. O novo assusta, o desconhecido gera insegurança, mas para viver bem é preciso ter coragem.

Como fazer isso? Que tal começar a refletir sobre alguns pontos e ver que é HORA DE MUDAR. Lá vai:

  1. Gaste todo tempo que sobra se conhecendo. Você se conhecendo vai se gostar muito mais de si e essa é a chave da vida.
  2. Tenha sua vida pessoal própria mesmo que encontre um companheiro maravilhoso. Não abra mão de jeito nenhum dela (amigos, família, hobbies, esporte, arte, shows, etc.). Afinal ele te conheceu assim e vai te amar mais dessa forma. NÃO MUDE.
  3. Seu relacionamento tem que ser apenas uma parte de um todo. Não coloque o homem como o centro do seu universo. Ele é apenas um planeta. Amplie seus horizontes não coloque todos os ovos numa única cesta.
  4. Não pare nunca de se conhecer. Às vezes temos que rever NOVAMENTE nossas convicções e seguir em frente.

O sucesso não é o final e o fracasso não é fatal: o que conta é a coragem para seguir em frente e elas MULHERES estão seguindo em frente.

Homens acordem, estão deixando de ser o centro para se tornar apenas um satélite. Darwin disse que as espécies que sobreviverão são aquelas que conseguem se adaptar as mudanças e as mulheres parece que estão salvas.

E nós homens não está na HORA DE MUDAR para também sobrevivermos?

4 thoughts on “Homem centro do universo feminino? Não mais.

  1. Elaine

    Olá! sinto saudades.
    Tenho “errado” muito e feito um esforço enorme para ajustar tudo. Está sendo difícil, cansativo, mas gratificante. Esse texto me dá força, sabia? Acho que estou no caminho certo.

  2. Eliane

    Fazia muito tempo que não lia seus textos querido. Esta de parabéns como sempre, consegue filtrar e traduzir em palavras alguns de nossos sentimentos tão inexplicavéis.
    Que Deus te proteja e lhe conserve sempre assim, cheio de energias boas..rs
    Abç

  3. Fabio

    “Já se debate há algum tempo nos meios psicanalíticos a crise da masculinidade na pós-modernidade. Divã para os machões!! De fato, a Alma feminina tem muito mais possibilidades!!”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 × 4 =