Hora de Mudar

O que seria de nós se não fosse o medo de amar?

O que seria de nós se não fosse o medo de amar?

rapunzel“Nossa vida é construída por aqueles que nos amam e por aqueles que se recusam a nos amar”

Seríamos muito felizes. 

Porque temos medo de amar? Nós padecemos das agonias da solidão, do isolamento, da frustração e da carência emocional e espiritual basicamente pelo fracasso no amor.

Se te perguntar quando foi e qual foi à última grande piada que ouviu ou leu, seus músculos faciais vão fazer os movimentos para rir novamente e vai pensar onde, quem enfim em todo contexto e pode até voltar a sentir o prazer que a piada lhe causou.

Se te fizer agora, a pergunta se já teve uma dor de dente e no que pensava quando estava com ela curiosamente veras que só pensa em si mesmo.

Vivemos um mundo repleto de dor. Dormimos e acordamos num mundo carente de amor. A maioria das pessoas está tão dominada pelo seu próprio sofrimento, que não conseguem extrair de si o bastante para amar de verdade.

Sem que percebamos, além da ansiedade e do medo, temos o “complexo da culpa” que é uma sensação pessoal obsessiva de maldade ou de pecado. E quando temos a sensação de culpa sem percebermos, inconscientemente, procuramos a punição.

Alguns chegam a se ferir fisicamente outros procuram parceiros já sabendo, que de algum modo, que essas pessoas irão puni-las.

Quando nas histórias a bruxa velha e feia insiste em falar para a jovem bela que ela é feia, o que quer é mante-la na torre em sua companhia. A jovem não está presa na torre, mas sim no medo de sua própria feiúra que a bruxa com tanta insistência e eficácia descrevera tantas vezes.

A bela jovem só consegue se libertar quando se vê refletida nos olhos de seu príncipe Encantado e percebe sua própria beleza.

Precisamos desesperadamente ver nossa própria virtude e beleza no espelho dos olhos de outra pessoa, se quisermos ser livres de verdade. Até esse momento permaneceremos trancados dentro de nossas próprias torres.

Se quisermos ser capazes de AMAR, temos que conseguir enxergar além de nós mesmos. Temos que prioriza com a felicidade e a realização do outro. Para isso temos que ter uma visão clara de nossas próprias virtudes e talentos sem o que não conseguiremos amar.
Quem já não experimentou em algum momento uma sensação de solidão e isolamento, um doloroso vazio que se torna uma insuportável prisão, pois temos a sensação de estar alienados dos outros, separados do grupo, sozinhos. Por sua própria natureza, essa solidão, como a dor de dente, centraliza em nós mesmos o foco de nossa atenção. Para preencher esse vazio, saciar essa fome saímos para procurar outras pessoas que nos amem.

Sabemos que essa solidão só pode ser preenchida pelo amor de outras pessoas, que precisamos nos sentir amados. Aí vem a nossa cabeça os clichês: “Não sou ninguém até que alguém me ame” ou “só crescerei se tiver pessoas que me amam ou se recusam a me amar.”

Criamos então um ciclo vicioso: a preocupação consigo mesmo e a convergência sobre si mesmo levam ao isolamento e a uma dolorosa solidão e procurando alívio no amor de outras pessoas, apenas tornamos mais profunda nossa solidão.

É preciso romper com esse ciclo vicioso e só vamos conseguir quando pararmos de nos preocupar conosco e começar a se preocupar com os outros. O outro tem que estar em primeiro plano, em ‘nosso’ lugar. Temos que responder às necessidades dos outros sem buscar a satisfação de nossas próprias carências. Só crescemos até onde conseguimos enxergar.

Se decidirmos amar para nos sentirmos realizados e felizes com toda certeza ficaremos desapontados e não cresceremos, pois estaremos restritos a nós mesmos.

AMAR significa ter consideração, ternura, grande afeição, apreciar, aceitação e interesse pelas pessoas a quem você está tentando AMAR. Só podemos amar os outros na medida em eles ocupam o foco de ‘nossa’ mente, coração e vida. Só posso me encontrar, esquecendo-me de mim mesma.

Enfim como diz o letrista da música:

Diz que se ama, Acha que engana, Controla o fogo, Se fecha e corre, Se alguém, descobre seu ponto fraco, Não abre o jogo, Me fiz de bobo, Armei meu laço sem embaraço, Pra vencer no cansaço,Toquei no seu interior, Mas ela não se entregou, Fiz tudo para conquistar, O amor que vi no seu olhar, Agora eu descobri teu segredo

Tem medo de amar, tem medo

Façamos como quem nos deu a maior prova de amor:

 “Deus não criou o mundo a fim de ganhar alguma coisa, mas a fim de DOAR alguma coisa…apenas para compartilhar a si mesmo.”

 

 

 

7 thoughts on “O que seria de nós se não fosse o medo de amar?

  1. roberta

    Autor, conforme prometido, faço aqui as minhas considerações acerca do tão valioso texto. Quem falar que nunca passou por esse período de isolamento e, não experimentou esse sentimento de culpa estará mentindo! Quem falar que nunca tentou se apoiar no outro como se fosse a única salvação e, por fim continuou se vendo completamente sozinho, tb está mentindo! A vida nos mostra que persistir nesses erros não chegaremos a lugar algum…frustrações, medos, ilusões fazem parte dessa estrada. Medo de amar? Não acho que tenho até porque não gosto dessa palavra “medo”. Prefiro dizer que, hj, depois das desilusões que já passei, tenho um pequeno receio de me entregar de corpo e alma. Porém, a vontade de sentir verdadeiramente o amor acaba por ser mais forte e a emoção domina a razão. Muitas vezes é preciso ficar só, não para viver isoladamente, mais para observar e dar mais valor as pessoas que estão ao seu redor. O amor está no ar, ele contagia e nos pega de jeito quando menos esperamos…o importante é deixar a porta aberta e o que tiver que ser…será!!! Parabéns pelo texto, adorei!!! Beijo

  2. Raquel

    E o que seria de nós, os medrosos, se não encontrássemos pessoas tão especiais, capaz de nos ensinar o que Amar ???
    Eu tenho medo de amar, eu tenho…( por enquanto! rsrsrs)

  3. Deusa

    Com sua ajuda tranqüila e serena
    Vou aprendendo que amar vale a pena
    Que essa amizade é tão gratificante
    Que esse diálogo é muito importante..

  4. Helena

    ______♥█████████♥_______♥█████████♥
    _____♥█████████████♥___♥███████████♥
    ___♥█████████████████♥████♥____♥████♥
    __♥████████████████████████♥______♥███♥
    _♥███████████████████████████♥___♥███♥
    ♥████████████████████████████████♥_____♥███♥
    ♥█████████████████████████████████♥___♥███♥
    ♥██████████████████████████████████♥_♥███♥
    _♥██████████████████████████████████████♥
    __♥██████████████████████████████████ ██♥
    ____♥████████████████████████████████ ♥
    ______♥████████████████████████████♥
    _________♥███████████████████████♥
    ____________♥██████████████████♥
    _______________♥█████████████♥
    __________________♥████████♥
    ____________________♥████♥
    _____________________♥██♥

  5. Helena

    Tudo a ver,muito profunfo seu texto.
    A insegurança emocional responde pelo medo de amar.Você aprende que amar não significa apoiar-se, e que companhia nem sempre significa segurança,enriquecendo-o de vitalidade e de alegria com as quais adquire resistência para a luta e para os grandes desafios, aureolado de ternura e de paz.A beleza das pessoas está na capacidade de amar e encontrar no próximo a continuidade de seu ser.
    Abs

  6. Deusa

    Obrigada por ter aceito a minha sugestão.
    Será que aceitou pq ficou com medo de recusar o pedido de uma Deusa?
    Agora resta carissímos leitores tecerem suas opiniões.
    Bjoos diretamente do Olimpo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro × um =