Hora de Mudar

O que você prefere: ter razão ou ser feliz?

O que você prefere: ter razão ou ser feliz?

Pablo Picasso

Mulher a chorar - Pablo Picasso

Podemos sempre decidir entre uma de duas coisas: ter razão ou ser feliz.

Antes duas historinhas uma a nível pessoal e outra profissional.

 Casal de namorados que serão padrinhos de casamento estão atrasados para a cerimônia religiosa.  Ele conduz o carro. Ela consultou o mapa antes de sair de casa, orienta-o e pede para que vire, na próxima rua, à direita. Ele, porém tem certeza de que é à esquerda. Discutem. Percebendo que além de atrasados, ficariam mal humorados, ela resolve deixar que ele decida. Ele vira à esquerda e percebe, então, que estava errado. Mesmo a contra gosto e sem alternativa, ele admite que insistiu no caminho errado, enquanto faz o retorno. Ela sorri disfarçadamente e diz que não há nenhum problema se chegarem alguns minutos atrasados porque a noiva com certeza também vai se atrasar. Ele, não agüenta e fala: “Porque sorriu se tinhas tanta certeza de que eu estava indo pelo caminho errado, devias ter insistido um pouco mais…”

Na empresa um gerente de vendas solicita ao gerente técnico o acompanhamento de um técnico numa visita a um cliente que faria naquele momento. O gerente técnico estrila dizendo que ele deveria ter solicitado com antecedência e não iria ceder o técnico. O gerente comercial tenta argumentar que o cliente ligou nesse momento solicitando, mas o gerente técnico não cedeu. Percebendo que não já estava se atrasando para a reunião com o cliente e azedaria a relação com a área técnica resolve ir à reunião sem o técnico. No retorno, o gerente técnico pergunta como foi e ele diz que o cliente comprou do concorrente que levou o técnico. Vendo que tinha contribuído para a perda do pedido fala: “Pôh, se você sabia que era fundamental para tirar o pedido devias ter insistido mais”.

Os dois a namorada e o gerente comercial poderiam ter respondido: “Entre ter razão e ser feliz, prefiro ser feliz. Estávamos à beira de uma discussão, se eu insistisse mais, teríamos estragado a relação!”

Quanta energia que normalmente é desperdiçada apenas para demonstrar a posse da razão. Quando discute com a namorada e acabam brigando, ele sempre quer ter razão, mas ela vai embora furiosa e passa três dias sem ligar. Ele fica sozinho em casa, cheio de razão, mas numa tristeza infinita, infelicíssimo. A mesma coisa acontece no plano profissional.

Há muito tempo atrás aprendi uma lição e desisti da idéia de convencer alguém de qualquer coisa. Com minha intuição, experiência e convicções, ofereço minhas opiniões com sinceridade, apresento meus argumentos, me empenho em ser claro e objetivo. Se forem aceitas, ótimo, se não, ótimo também.

Gosto de aprender, não tenho problemas para admitir meus erros e equívocos, não me sinto inferior por não ter razão. Nem culpado por me sentir feliz.

Todo ser humano é complexo, imprevisível e único, e a sensação de felicidade ou infelicidade atingem a todos ricos e pobres, sábios e ignorantes, religiosos e ateus, desde que o mundo é mundo.

Eu quero ser feliz, mas sem perder a razão. Isso não quer dizer que devemos sempre aceitar e nos tornarmos submissos. Se alguém afirmar que a parede é azul quando é amarela e quer ter razão não vou brigar, mas vou colocar um ponto de interrogação na relação e na seqüência do relacionamento vou acabar me afastando.

O que importa ter razão e sustentar essa razão com uma discussão se isso acaba por pôr em perigo o meu equilíbrio e logo também o maior objetivo da minha vida que é ser feliz?

Razão em termos absolutos não existe e isso é algo que devemos ter sempre presente quando acharmos que temos razão acerca de algo, a teoria quântica explica isso.

Para que discutir e criar instabilidade numa relação por essa razão, sobretudo quando sabemos que isso não irá levar a lugar nenhum? Ou a pelo menos a nenhum lugar que queiramos…

Não acredito que quem ama queira que a outra parte reconheça publica e inequivocamente a sua culpa. Será que quem ama pode querer “dobrar” a outra parte pela força da razão? Acho que não.

Na minha opinião, num relacionamento seja de que tipo for entre duas pessoas, a razão é inimiga da felicidade.

13 thoughts on “O que você prefere: ter razão ou ser feliz?

  1. Marcelo

    Sinceramente, prefiro ser feliz, muitas discussões não levam a lugar algum, claro que se for algo que prejudique minha vida, vou lutar, mas acabo deixando pra lá certas discussões, que não vou ganhar, nem perder nada com isso, nada substitui a felicidade e o prazer de se sentir bem.

  2. RaulPensador

    Concordo que as vzs precisamos deixar a razão de lado para não estragar algo mas creio que na maioria das vezes temos que impor a razão sim

  3. RaulPensador

    Outra coisa aqui, ser feliz sem perder a razão ? As pessoas que tem razão em algo sempre serão as mais felizes, quem tem que aprender, enxergar, mudar, evoluir e talvez até ser submisso(a) de algo são aqueles q não tem razão

  4. RaulPensador

    Calma aí, auto lá, discutir é algo muito chato porém uma coisa são aquelas pessoas que acham que tem razão em tudo e não tem, outra coisa é quem sabe que realmente está com a razão, essa pessoa tem que lutar por ela sim e acabou !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Muitas pessoas fazem muitas coisas erradas ( tudo bem que pra elas é ”certo”) só que existem seres humanos que sabem e enxergam que certas coisas são certas ( pq são mesmo) como por ex ser educado…. e outras pessoas n enxergam e não aceitam certas coisas que são certas sim mesmo que elas n achem…. então foda-se muitas pessoas que erram em vários tipos de coisas e ainda por cima muitas das vezes sabem que estão errando mas continuam no erro… E enfim certo é certo, errado é errado, dou mais exemplo pra vc – N é pq alguém gosta de fumar q isso vai ou tem que se tornar certo 😉 Temos que ver as coisas de modo mais claro e direto, se o cigarro mata, é lógico q não é certo e acabou, fuma quem quiser e pronto, agora…. ninguém devia tentar tentar tirar a razão de pessoas que REALMENTE TEM RAZÃO em certas coisas…

  5. Marcelo Bermudes

    Devemos SIM debatermos quem tem razão e estabelecermos critérios, caso contrário, pontes irão cair, metrô não funcionará, pessoas irão morrer em filas de hospitais.
    FORA O CONFORMISMO!!!

  6. SECRETÁRIA

    MUITO LEGAL, ME FEZ REFLETIR,,,E DE HOJE EM DIANTE ENTRE SER FELIZ E TER RAZÃO, VOU PREFERIR SER FELIZ….LEGALL..MUITO BOM

  7. Cíntia

    A vida não deve ser levada ao pé da letra,afinal qual é realmente a verdadeira verdade? È aquela em que a sociedade determinou como verdade?Razão não é nada diante da nossa felicidade=equilibrio.

  8. Cíntia

    A vida não deve ser levada em ponta de faca é o que podemos relacionar com a razão…A felicidade é sem descrição sentimento que anda mãos dadas com o amor.

  9. Elaine

    A força da insistência é diretamente proporcional à importancia do fato objeto. Se há possibilidade de correção, como um caminho à direita ou esquerda, não será tão importante. Mas se a noiva tivesse ficado sem os padrinhos seria motivo relevante para me sentir magoada/infeliz. Quem me trará aquele cliente de volta por causa de uma “vaidade” ?

  10. Raquel

    Hoje lendo o seu novo texto e este novamente percebo que em ambos você utiliza a palavra decisão, decidir.
    DECIDIR…esta palavra me despertou para algo novo hoje!
    DECIDIR, DECISÃO, FAZER ESCOLHAS, ASSUMIR UMA POSIÇÃO…
    Pois bem Sr. Autor, vou assumir um compromisso comigo e você será minha testemunha…kkk:
    De agora em diante
    EU DECIDO!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

nove + quatro =