Hora de Mudar

Segredo de uma relação

Segredo de uma relação

lagrima1

Casados há 15 anos, um belo dia, sem mais nem menos, ela pergunta ao marido se ele ainda a ama. Ele para, pensa e não responde nem sim nem não. Olha para ela e com a maior sinceridade do mundo diz que apaixonado não é mais.

Ela se indaga: porque estava perguntando isso? Nada tinha acontecido, eles não estavam brigando, era apenas uma conversa num café da manhã de domingo.

 Sim esse momento, mais cedo ou mais tarde, chega a todo casal, ou pelo menos para aqueles que ousam perguntar e para os que arriscam a responder a verdade. E agora o que fazer?

Aí começa a passar um filme na cabeça dela. “Será que ele tem outra?” “Será que não sou mais importante, bonita ou interessante?”

 Um frio corre pela espinha, a alegria dá lugar à tristeza. Agora percebe que ele já estava triste havia bastante tempo e ela não tinha percebido.

O filme continua passando na sua cabeça: o nascimento dos filhos, a compra do carro, a compra da primeira casa, as duas famílias, as contas, os almoços e churrascos de domingo, a viagem a Disney.

Porque fez essa pergunta? A resposta a si mesmo foi dura: a verdade é que ela sentia o mesmo que ele. A paixão foi embora há alguns anos, a rotina matou o mistério, os interesses não eram iguais. Ambos não se conheciam mais: se perderam no caminho.

Nenhuma das perguntas importava mais, já que a resposta seria a mesma. Ele não tinha mais o desejo de antes e ela já não achava graça nas brincadeiras. A última viagem ao Canadá foi estranha, eles discutiram muito. Não chegavam a um acordo de como melhor aproveitar aqueles momentos a dois. Percebeu que a ele só havia restado uma única opção era calar e agora aquele silêncio significava mil palavras.

Depois de minutos aterrorizantes que pareceram uma eternidade, com toda coragem do mundo, ela pediu para que ele fosse embora pensar e ele não quis, continuaram sentados na mesa, os dois não tinham vontade de brigar.

Porém ela não conseguiu permanecer sentada, pois um turbilhão de pensamentos bombardeava sua cabeça e silenciosamente resolve ir tomar um banho tranqüilizante e talvez clarear os pensamentos. Enquanto a água quente escorria pelo seu corpo e suas lágrimas desciam pelo seu rosto.

Lembranças do primeiro encontro, do instante em que os olhares se cruzarem pela primeira vez, da paixão fulminante, do beijo incessante, do amor nascendo. Ela limpou a mente e sentiu apenas a gratidão.

Saiu correndo pelo quarto e pegou alguns álbuns de fotos. Queria ver tudo, lembrar das coisas boas. Com quem iria comentar de cada pedra acumulada, de cada gracinha dos filhos, das paisagens, tudo tinha uma história, a história deles. Com quem mais ela iria falar sobre tudo isso?

Saiu correndo do quarto em direção a sala ao encontro dele e com o mesmo silêncio de antes, o beijou; e ele retribuiu. Foi o abraço mais apertado do mundo, um suspiro.

Como se nada tivesse acontecido, eles pegaram os filhos e saíram para almoçar. Ela percebeu que amava aquela rotina, ele também, e tudo recomeçou, apesar da paixão ter acabado. Afinal a paixão acaba mesmo, para todo o mundo. Ela não era uma exceção, nem ele.

Talvez um dia esse assunto volte a ser falado, mas por enquanto não. Eles eram uma dupla, amigos, leais, às vezes amantes como qualquer um de nós. Nada mais precisava ser dito.

Se ainda não era HORA DE MUDAR não seria à hora de se reinventar?

4 thoughts on “Segredo de uma relação

  1. Silvia

    Adorei o texto. Como em qualquer relacionamento, seja ele uma amizade, um namoro, um noivado, um casamento, uma relação de trabalho, sempre temos que reinventar, reinventar nada mais é do que dar vida a tudo que achavamos estar perdido. A paixão pode acabar, mas o amor não, afinal é ele que constroi.

  2. Carmen

    Qtas vzs ,reinventar se torna necessário para a gente não perder aquilo q a gente tem.“Hora de mudar´´ tb é isso,é reinventar uma atitude,reinventar um pensamento .Adorei o texto ,nos leva muito a reflexão.

  3. Mah - MG

    Gostei da idéia do reinventar e como a Raquel abaixo gostaria de ler mais à respeito. Sr. Autor…(kkk) será que poderia explorar mais esse tema?

  4. Raquel

    Sr. Autor, novamente um texto que nos possibilita ir muito além das palavras ditas, escrita…
    Pela primeira vez em seus textos, vejo uma proposta de reiventar, de tentar o mesmo mais uma vez, sem a radicalização do mudar de vez, de tudo. Gostei, gostei muito mesmo! Porque nem sempre é preciso desprezar tudo que fizemos, abandonar, cortar fora…muitas vezes, o simples reiventar, pode ser tão ou mais significativo do que a mudança total!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × um =