Hora de Mudar

Felicidade

Felicidade

felicidade_name

 

“Faça o que for necessário para ser feliz. Mas não se esqueça que a felicidade é um sentimento simples, você pode encontrá-la e deixá-la ir embora por não perceber sua simplicidade” (Mário Quintana).

O ser humano vive procurando a felicidade. É tão forte essa procura que na década de 90 cientistas de alguns dos maiores centros de estudos de Psicologia da atualidade (Harvard, Yale, Pensilvânia, Michigan) se reuniram para tentar entender melhor o caminho que nos leva à felicidade. Nascia assim um movimento denominado de Psicologia Positiva que reúne interessados em promover a felicidade humana, focando nas virtudes e emoções positivas.  Ela é mais preventiva que corretiva, mas estudos confirmam seu poder de cura em cerca de 70% dos pacientes que tenham algum problema ou algum sofrimento.

Esses pesquisadores concluíram que as emoções positivas, e por extensão, a felicidade possuem uma finalidade muito maior do que, simplesmente promover o bem estar. As emoções positivas, tais como alegria, otimismo, esperança, perdão, prazer, dentre outros fortalecem nossos recursos intelectuais, físicos e sociais com os quais podemos lançar mão quando uma oportunidade ou ameaça se apresentam no ambiente, nos deixando as pessoas abertas a novas idéias e experiências.

Porque ficamos muito alheios a nós mesmos, ou temos o péssimo hábito de olhar somente para as nossas imperfeições?  Problemas as pessoas sempre terão, a felicidade não está ligada a falta deles, mas as virtudes devem ser trabalhadas como ferramenta de superação. A auto estima não existe sem o autoconhecimento. As pessoas têm um discurso pronto de “eu me amo”, mas essa afirmação deve ser dita com sabedoria, com respostas para a pergunta: porque você se ama?

Segundo o fundador da Psicologia Positiva a formula da felicidade consiste em 40% determinada por nossa vontade em trabalhar por ela, 10% tem a ver com as circunstâncias da vida e 50% de condições genéticas. Essas pesquisas que dão peso de 50% para a genética se esquecem, contudo, que tudo vai do esforço e do benefício, até o cérebro pode ser mudado.

O fato de ser feliz é fazer um balanço da sua vida e entre emoções positivas e negativas, pesar mais para o positivo, pois os problemas vão existir sempre. As pessoas têm que trazer para o lado emocional o que já aprenderam no lado físico, sobre bem estar e qualidade de vida. Podemos ser felizes se investirmos em coisas positivas.

A felicidade não consiste apenas em bons momentos e nem viver alegre 100% do dia. Para tudo que acontece em nossa vida existem dois caminhos a seguir: olhar o lado positivo das coisas e tirar o que elas têm de melhor, ou absorver a coisa ruim e se frustrar. Eu opto na maioria das vezes em trilhar o lado positivo, é muito mais fácil.

Ser feliz é enxergar nas imperfeições do mundo as coisas perfeitas.

Para encontrarmos a felicidade temos que nos basear em três pilares: as emoções positivas, o envolvimento e o sentido (comprometimento) para a vida, focando no que se tem de bom, nos momentos ótimos e não somente remexer as feridas.

Temos sim que falar dos problemas, mas sempre na perspectiva das soluções, pensando em:

  • Construir o caminho focando-nos nos sucessos.
  • Descortinar o que podemos fazer para chegar ao nosso objetivo, que deve ser ajustado mediante a realidade.
  • Conseguir dia após dia ter cada vez mais momentos bons.
  • Encontrar um sentido para a vida, ganhar perspectivas e valorizar sempre cada acontecimento.

Os momentos mais felizes estão muitas vezes, nas pequenas vitórias que conseguimos durante o nesse nosso percurso para a felicidade. Temos que parar de procurar a FELICIDADE!!!!!!!!!!!!! (com letras maiúsculas) que os filmes e novelas nos vendem porque corremos o risco de nos distrairmos e não perceber as pequenas felicidades que fazem parte do nosso dia a dia.

A primeira xícara de café do dia, um por de sol que não cabe na fotografia, um filme ou programa de TV que nos faz rir, o cheiro de um bolo no forno, uma frase carinhosa de quem se ama, a taça de vinho que acompanham momentos especiais com amigos(as) e amado(a), a certeza de ser amada(o) e ter verdadeiros amigos- todas essas coisas nos fazem felizes. Mas isso só acontece quando não estamos desatentos.

Quantas vezes nos distraímos pensando naquele problema que nem merece tanta atenção – ou porque não tem solução ou porque nem chega a ser um problema. Outras vezes nos concentramos em algo que nos causou raiva, frustração ou mau humor e paramos de enxergar tudo que não se relacione com aquilo.

Estacionamos na infelicidade.

Passamos a maior parte da nossa existência esperando a mega-felicidade: o amor das novelas e dos filmes, os filhos perfeitos, a carro que vai impressionar os amigos, o poder e o sucesso traduzido na conta bancária, o emprego que só traz alegrias. Enquanto isso, as pequenas felicidades vão passando, completamente despercebidas.

Conjugamos os verbos no futuro: “quando eu encontrar o homem (mulher) da minha vida”, “quando eu comprar aquele apartamento”, “quando meus filhos crescerem”, “quando eu trabalhar numa empresa que reconheça meu talento” e o presente, enquanto isso, embora sem que tenhamos desfrutado nem a metade do que ele nos trouxe.

A felicidade não cabe em gráficos e tabelas ela é impalpável, feita de minúcias, instantes, fios quase invisíveis. Temos que construí-la em cada momento em doses homeopáticas de bem estar, uma pitada quase imperceptível de alegria.

Que tal desenvolver algumas atividades que tem pode impactar no seu bem estar:

  • No final de cada dia, guarde alguns minutos para escrever três coisas que correram bem no seu dia e o motivo desse sucesso;
  • Semanalmente, escreva um email a alguém, valorizando ou apreciando positivamente a presença dessa pessoa na sua vida;
  • Crie o seu diário de gratidão, escrevendo regularmente sobre o que está grato por existir na sua vida (pessoas, momentos, situações…); 
  • No seu dia-a-dia pratique atos de altruísmo. Pequenos gestos em prol dos outros ajudam-nos a sentir mais positivos.

 

Pense positivamente e encontre a felicidade.

Felicidade é viver momentos felizes.

 VIVA.  SEJA FELIZ

 

 

7 thoughts on “Felicidade

  1. Eduardo Augusto dos Santos Post author

    A primeira coisa a fazer é uma conversa franca e sincera entre eles. Se uma se arrependeu de fato e ela a ama de verdade, o melhor a fazer é seguir em frente com a relação e deixar a desconfiança de lado e aproveitar esse ocorrido para estreitar ainda mais a confiança mútua.

  2. KIKR

    a boa nova de uma relacao e compreecao, eu queria um conselho no seguinte caso de um amigo:um jovem, foi traido por sua esposa e ele nao acha que convem , de se separar da mesma. Entretanto ela teve ralacao sexual com o melhor amigo dela e agora ha um clima de muita desconfianca, ela se arrependeu
    do seu acto, e ele nao se sente bem com esse senario porque o sentimento que ele tem por ela e muito forte. o que ele faz?

  3. Carmen

    Para sermos felizes não precisamos de muita coisa,é so valorizar aquilo que possuímos e dar valor as ´´pequenas´´ coisas ,o ato de acordar,respirar,comer,amar etc.Carmen

  4. Rodrigo

    Parabéns. Muitas pessoas, inclusive eu mesmo, por algumas vezes, deixamos de dar a devida importância por momentos que tivemos no decorrer do dia. A vida é um aprendizado mesmo. Por isso temos que valorizar todos os momentos positivos e, sobretudo os negativos. Com base nesses é que faremos uma reflexão sobre o que poderíamos ter feito para evitar esse momento (negativo). Quanto àqueles, como dito, os deixamos de lado, pois o ser humano nem sempre valoriza aquilo que eventualmente se esperava (conduta positiva).
    De qualquer forma, não devemos fazer com que as condutas negativas tomem conta de nossos sentimentos. “o mal não merece comentários, pois só traz resultados desagradáveis. Qualquer palavra produz vibrações, que atraem as vibrações semelhantes. Portanto, o comentário sobre o mal atrai vibrações pesadas e nocivas. Fale apenas a respeito de coisas belas e boas, comente o bem e as ações nobres, e permanecerá envolvido por uma onda de paz, de alegria, de bem estar”. (Minutos de sabedoria, p. 194).
    Talvez devessemos cultivar com mais intensidade as coisas que nos traz felicidade, deixando os pontos negativos apenas para reflexões, desde que não contamine nosso espírito de alegria.

    Abraços.
    Rodrigo.

  5. Luana

    O texto me fez pensar. Li e reli e concordo com o autor. Querer é poder. Se sabemos o que queremos realmente para nós temos que pensar positivamente e com certeza encontraremos a FELICIDADE.

  6. beth bella

    Assim parece encontrar a felicidade o dificil é saber o que se quer. Uma quero e logo depois não sei se quero. Porque?

  7. Raquel

    Muito boa a citação de Mario Quintana, encaixou-se perfeitamente a idéia central do texto! O autor mais uma vez, propõe a reflexão ao escrever sobre os sentimentos. Desta vez, provoca de maneira sutil a reflexão sobre o que é felicidade e sobre o que queremos que ela seja. E existe uma grande diferença nisso! Após embarcar nas reflexões e na felicidade, voltei como habitualmente ao texto para nova leitura e fui surpreendida pela frase que me saltou aos olhos:”Faça o que for necessário para ser feliz. ” Frase perigosa essa!!! Pode servir de argumento para a busca egoísta da felicidade, para justificar atitudes de mau caratismo em busca do que se deseja, para causar sofrimento alheio em pról da própria felicidade! Apesar que realmente acredito, que ninguém consegue e nem pode ser feliz causando infelicidade a outrem. Mas cuidado com o que quer, cuidado com o que considera ser a sua felicidade! Nossa…isso me fez pensar em outra coisa…que para ser feliz é preciso saber o que se quer, o que se deseja… Será que eu sei o que quero?? kkk ( Nossa…muitas reflexões aflorando, melhor parar de escrever!!! kkk) Parabéns Sr. Autor, conseguiu mexer com mais esta proposta textual! Adorei!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 × 3 =