Hora de Mudar

O amor e a Copa do Mundo

O amor e a Copa do Mundo

  Coração Brasileiro

Ontem oficialmente começou a Copa-2010.  

Nesta época do ano é impossível ver nas ruas o clima verde e amarelo nas bandeiras nos carros e janelas, nas roupas, nas decorações nas empresas e não gostar do clima da Copa do Mundo. Todos mostrando o verde e amarelo do seu patriotismo.

Por que isso só acontece somente de quatro em quatro anos? Onde fica o patriotismo durante esses quatro anos entre as Copas?

Brasil, o país do futebol, diriam muitos. Outros completam Brasil também é o país da miséria, da corrupção, da lavagem de dinheiro, da violência e por aí vai. Somos patriotas durante a copa, mas  ficamos emburrados no mês de outubro quando precisamos escolher quem irá liderar o tal país do futebol. Mas hoje também somos o país da vez, com muitas conquistas e nem valorizamos.

Vejamos: somos o único país do mundo que pode abastecer simultaneamente um carro com álcool, gasolina e gás, tudo com tecnologia nacional. A Petrobrás é a única empresa do mundo a deter a tecnologia completa de produção de petróleo em águas profundas. Temos a empresa (Embraer) número 01 em fabricação de aviões até 120 lugares, reconhecida sua qualidade pelos Estados Unidos que estão adquirindo para treinar sua Força Aérea. Único país do hemisfério sul a participar do Projeto Genoma. Que tem sua eleição totalmente informatizada desde 2000 com tecnologia própria. Já somos o quinto mercado consumidor de automóveis. 97,3% de nossas crianças e adolescentes estão estudando. Somos o segundo mercado mundial de telefones celulares. 6.890 empresas brasileiras possuem Certificado de Qualidade ISO 9000, contra 300 do México e 265 da Argentina. Somos o segundo maior mercado de jatos e helicópteros executivos.

Chega, mais tem muito mais.

Mas quem não sabe quando é o primeiro jogo do Brasil? Mas ninguém se importa com o destino do dinheiro arrecadado pelos impostos exorbitantes do país, se o ficha limpa foi votado ou não, mas se importam com a não convocação do Ronaldinho Gaucho, Ganso, etc.

Por que somente durante a Copa somos mais livres, o preconceito aparentemente diminui, estamos todos unidos por uma única vontade, ganhar a Copa do Mundo. Não seria bom que esse clima se mantivesse para sempre, que palmeirenses e corintianos dividissem o mesmo vinho na hora do jogo (nessa época está muito frio) e que o amor pelo Brasil fosse maior que nossas diferenças de raça, credo e sexo.

E o que tudo isso tem que haver com o AMOR? Tudo a haver.

Agimos da mesma maneira nos relacionamentos. Quando começamos um relacionamento é como se fosse uma copa do Mundo. Vestimos as cores do amor e torcemos juntos, e dividimos o mesmo vinho e não vemos nenhuma diferença.

Passado esse momento começamos a ver tudo de ruim no companheiro esquecendo-se de todas as outras qualidades. Ficamos comentando somente sobre os pontos fracos que muitas vezes são apenas nossa visão. Não aceitamos as diferenças que tanto nos entusiasmava anteriormente.

É HORA DE MUDAR, assim como o Brasil vem mudando temos que mudar nossa visão de amor para realmente sermos felizes.

Por que não tentar? O Brasil vem mudando e vem dando certo.

One thought on “O amor e a Copa do Mundo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

15 + sete =